Prefeitura de SJN decide não financiar o “Carnaval 2017”

0
3075

A Festa de Momo vai ficar por conta do povo. Na manhã desta quarta-feira (11/01), o prefeito, Ernandes da Silva, bateu o martelo: não haverá carnaval financiado pela Prefeitura em São João Nepomuceno em 2017.

Palco, shows gratuitos pela cidade, reforço na segurança, concessão de barracas, auxilio financeiro às escolas de samba e aos blocos carnavalescos, além de qualquer tipo de divulgação turística estão fora dos planos do Executivo.

Em um vídeo oficial, divulgado pela assessoria de comunicação da Prefeitura na manhã desta quarta-feira (11/01), o prefeito anunciou que o Executivo não subsidiará o Carnaval em função de “um déficit financeiro que foi descoberto” nas contas apresentadas nos últimos dias pela consultoria contábil do município.

(Vídeo divulgado pela assessoria de comunicação da Prefeitura. Ao ser procurado pelo Portal SJ Online, o prefeito Ernandes preferiu não gravar entrevista. O Executivo se manifestou por meio do vídeo e de uma nota oficial.)

De acordo com o Prefeito, a decisão foi deliberada em conjunto com o secretariado. Foi consenso na gestão municipal que a verba de pouco mais de R$ 562.912,00 prevista no orçamento de 2017 para o Carnaval precisa ser empenhada em outros setores críticos do município, como o Aterro Sanitário Controlado, que se encontra em desconformidade com a legislação e gerando multas.

Acesse aqui a reportagem do Portal SJ Online sobre o “Lixão” de São João Nepomuceno

Descoberto deficit de R$ 1 milhão nas contas da Prefeitura

A informação de que atual gestão descobriu um deficit de mais de R$ 1.000.000,00 no caixa também foi anunciada na manhã desta quarta-feira, juntamente com a notícia da não realização do Carnaval 2017.

Segundo o assessor de comunicação do Executivo, Elcio Junior, a Planejar, empresa que realiza a consultoria contábil da Prefeitura de SJN, apresentou relatório na última terça-feira (10/01) demonstrando a real situação financeira do município. As notícias não agradaram.

O prefeito não quis gravar entrevista para esclarecer a origem da diferença no caixa. De acordo com a assessoria de comunicação, os dados apresentados pela Planejar estão sendo assimilados pela nova gestão e serão apresentados ao público assim que forem consolidados.

Outro fato, segundo a assessoria do Executivo, é que o ex-prefeito e o ex-secretário de contabilidade da Prefeitura ainda não teriam comparecido à Prefeitura para assinarem o balanço financeiro consolidado de 2016.

“O prefeito quer aguardar até o dia 15 de janeiro, quando terá o panorama real das finanças do município. Após essa data, será feita toda a prestação de contas, para que a comunidade conheça a realidade financeira da cidade e a origem do deficit”, explicou o assessor de comunicação.

A reportagem do SJ Online procurou o ex-prefeito em sua residência. Foi informada por vizinhos de que ele estaria viajando e, por tanto, não pôde comentar sobre a diferença.

Onde será empenhada a verba do Carnaval?

De acordo com a legislação municipal, o Prefeito têm autonomia para remanejar até 30% do orçamento anual aprovado pela Câmara de Vereadores.

Em nota, a assessoria do Prefeito informou que as prioridades para empenho de verba são na reforma do patrimôinio público, como escolas e creches, e para começar a resolver o problema do descarte do lixo na cidade.

Repercussão

O tema “Carnaval 2017 em SJN” vinha sendo muito debatido nos últimos dias nas ruas e nas redes sociais. O anúncio do prefeito de que não haverá de fato financiamento da festa de Momo dividiu opiniões.

De um lado cidadãos que apoiam a decisão e acreditam que a cidade tem demandas mais urgentes e que merecem mais atenção do que a festa pública.

A outra vertente é a dos que acreditam que a Prefeitura deveria apoiar o Carnaval público em São João. Entre os argumentos, muitos alegam que é um patrimônio cultural da cidade e importante atrativo turístico de SJN, fonte de receita para o comércio principalmente.

Fato é que o não financiamento público do Carnaval abre oportunidades para a iniciativa privada. Desde de que os boatos sobre a não realização do Carnaval surgiram, empresários do ramo de eventos “começaram a mexer os pauzinhos”, de olho nos foliões dispostos a curtir a festa com qualidade e segurança.

E você? Tem opinião formada sobre o assunto? Gostaria de curtir o Carnaval de SJN na rua ou prefere ver a verba empenhada em outras áreas críticas, como o “Lixão”? Deixe seu comentário.

Escolas de Samba decidem não desfilar

As Escolas de Samba de São João Nepomuceno tomaram a decisão conjunta de não desfilarem no Carnaval 2017. O anúncio foi realizado por representantes da Associação das Escolas de Samba (ASES) após reunião realizada com o prefeito Ernandes.

Os representantes das Escolas de Samba declararam entender que o município esteja passando por um momento de grande dificuldade, porém, lamentaram a decisão do prefeito em não subsidiar uma festa tão tradicional da cidade. Eles alegaram que a família são-joanense ficará sem um importante momento de integração e lazer.

A equipe do Portal SJ Online apurou também que algumas Escolas já haviam investido recursos financeiros na compra e confecção de fantasias e que acabarão ficando com o prejuízo. A ASES afirmou que a decisão de não desfilar em 2017 é definitiva e lamentou a dependência das Escolas dos recursos do Executivo.

Blocos devem desfilar mesmo sem subsídio

Apesar da decisão da Prefeitura Municipal de não financiar o Carnaval 2017, alguns representantes de blocos já se manifestaram com interesse em realizarem suas festas e desfiles. A equipe do Portal SJ Online estará confirmando com os organizadores quais estarão realizando atividades carnavalescas em 2017.

 

Reportagem: Diego Camilo

Colaboração: Fellype Alberto

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Entre com seu nome por favor